[post #27 (3 de 3)] O melhor de 2016 – seleção pessoal

O melhor de 2016

pt 3 (final)

minha seleção pessoal

           (pt 1 – aqui)                                                                                                             (pt 2 – aqui)

Embora eu possa ter demonstrando alguma empolgação com a música ao longo de 2016, devo dizer que este fim de ano está sendo bastante melancólico… e que vivi uma situação bastante peculiar: fui convidado a contribuir com o ‘best of 216’ do site Echoes and Dust… mas não consegui entregar minha lista a tempo…

Eu deveria ter feito uma lista contendo 20 discos e EPs (sem singles ou coletâneas), mas simplesmente não consegui… e posso dizer que, agora mesmo, passado mais de um mês do evento, ainda estou tendo dificuldades para fechar minha lista. Tomei como certo me esforçar para selecionar apenas 20 títulos – mas isso é muito, muito difícil. Eu gostaria ainda de escrever, novamente, sobre como é complicado sobreviver à imensidão do oceano de lançamentos de nossos dias – uma fonte, cuja confiabilidade não posso asseverar, reporta que são lançados cerca de 75 mil títulos por ano – e sobre como meus discos favoritos deste ano seguiram, em alguma medida, a receita dos meus discos favoritos do ano passado… mas não vou importuná-los com nada disso.

Sem outras digressões, eis minha seleção:

Metal

a4038739013_10Abismika – Sollicitudo

a1534220210_16Auxeptheon – Serpentfire [demo]

a2854763899_16Gray Souvenirs – Serena

a4231105845_16Invernium/Abisma – Personal coma [split] [Invernium aqui] [Abisma aqui]

a3711366982_10Left Alone – Empty moment

a1736712540_16Narcose – Sóbrio [demo]

a1016486620_16Nihus – Monólogo do sofrimento

a3153393733_16Oathbreaker – Rheia

downloadObscure Sphinx – Epitaphs [escutar via YT]

a2530789046_10Striborg – Spiritual deprivation

cxvbnmjkugytrewrtyuio-4jklkjlhkgyfTegroth – Nothing left (escutar via YT)

a0008278575_16Thy Catafalque – Meta

.

Beats, dark trap, eletrônica

jdjdjdjdjdjdjdjdAkvuma – Músicas para morrer no seu quarto (escutar no YT) (escutar no Soundcloud)

a3415650431_16BLΛCK GOΛT CVLT –  ΔΛЯҞ ĿĬGĦ† (free download)

a3895253226_16chris††† – No lives matter

maxresdefaultCristalv – infeliz.mente [EP] (escutar via YT)

bbbc3686a7bb8184cb6c068431ee2bb5-500x500x1Semdó – D.E.V.I.L. (escutar via YT)

a0992809731_16Steven Deblat – T h e  c h i l l w a v e  c o l l e c t i o n

 

Indie, experimental, shoegaze, folk

james-blake-colour-in-anything-stream-album-mp3-listenJames Blake – The colour in anything (soundcloud)

a2800502694_16Jessy Lanza – Oh no

 

Menções honrosas:

resize_imageBwana – Capsule’s pride (bikes) [free dowload]

14915268_1458505070843537_3822577272805558705_nGangue Morcego – Olhem para as ruas [escutar via YT]

a3369152215_16Idris Ackamoor & The Pyramids – We be all africans

a0513035967_10Julianna Barwick – Will

a2245138751_16Não ao Futebol Moderno – Vida que segue

5389556eNite Jewel – Liquid cool (escutar via YT)

a3529689632_16The Caretaker – Everywhere at the end of the of time

Noč – tudo! Todo e qualquer lançamento de Noč merece atenção!

.

[futuramente espero lançar uma segunda seleção com os grandes álbuns que descobri graças às listas de fim de ano e também com os discos de música neoclássica/avant-gard]

Anúncios

[post #27 (2 de 3)] O melhor de 2016 de acordo com os convidados do GM

Os melhores albuns e EPs de 2016

de acordo com Os Convidados do Gabinete Musical

 

Como já pontuei em outras ocasiões, o mundo é muito grande e o tempo todo somos bombardeados com novos lançamentos musicais – tornando-se praticamente impossível conhecer tudo o que tem sido produzido nos dias de hoje. Consultar listas de ‘fim-de-ano’, desse modo, torna possível tomar contato com títulos que escaparam ao nosso radar e conhecer lançamentos que de outro modo passariam despercebidos – não apenas uma forma de nos mantermos atualizados como também uma estratégia para expandir nossos horizontes musicais.

Na primeira parte deste post eu já pontuei o conjunto de blogs/sites que eu costumo consultar regularmente – mas uma outra fonte riquíssima de indicações reside naqueles que, efetivamente, estão colaborando com a cultura atual: músicos/artistas e críticos musicais envolvidos com música underground. Continuar lendo

[post #27 (1 de 3)] O melhor de 2016 – listas que podem merecer sua atenção

O melhor de 2016

pt I

Listas que podem merecer sua atenção

É incrível como, nos ultimos anos, as listas de fim de ano estão sendo publicadas cedo – muitas delas no final de novembro, a grande maioria no início de dezembro, de um modo ou de outro ignorando por completo o mês que encerra o ciclo. Nesse sentido, minhas listas devem soar como algo fora do comum – mas como, de saída, eu realmente sigo contra a maré, não me parece ruim estar ‘fora de sincronia’.

Venho aqui apresentar as listas que estão ocupando minha mente neste final de ano – com as quais estou buscando minimizar os danos causados pela força do tempo. Como o leitor poderá perceber, a maior parte delas é de blogs/sites menores, com maior tendência para a música underground – embora algumas sejam de espaços maiores, com os quais busco estar antenado com o gosto do grande público. Minha lista pessoal, que será publicada mais adiante, revelará maior afinidade com as primeiras – embora eu pretenda, sobretudo, oferecer indicações ainda menos usuais. Que os leitores tirem suas próprias conclusões. Continuar lendo

[post #012.3.2] O melhor de 2015 – parte final

O melhor de 2015

parte final

Os melhores discos de 2015

   Apesar do atraso, eis que chego à minha lista dos melhores lançamentos do ano que se encerrou. A ideia de atraso, aqui, diz antes respeito ao tempo em que todos os outros blogs/sites publicaram suas listas – o que tem ocorrido muito cedo, na minha singela opinião. Não seria lógico aguardar o ano se encerrar para poder avalia-lo com maior propriedade? Não é esta a tendência geral: boa parte das listas foi lançada no começo de dezembro – e as mais tardias por volta do dia 20. E isso porque alguns seguraram suas seleções, aguardando o lançamento de Purple, do Baroness – e eu posso dizer que estive, até o presente momento, aguardando minha cópia em vinil do segundo álbum do Ghost Bath… mas bem, acho que já está bem tarde.

    Como foi destacado em praticamente todas as listas, 2015 foi um ótimo ano para a música e devo admitir que não foi nada fácil chegar a esta seleção – um segundo fator que contribui para meu ‘atraso’. Demorei bastante para tomar a liberdade de não me limitar a um número fixo… mas simplesmente mencionar todos os títulos realmente acima da média: ótimos, excelentes ou, pelo menos, excepcionalmente bizarros ou marcantes. Fiz uma única divisão – entre METAL e Não-METAL álbuns.

  Continuar lendo